A DOR QUE MACHUCA É A DOR QUE ENSINA.

POR MAIS QUE CHORES E SOFRAS SEMPRE HAVERÁ UMA SAÍDA.

O TEMPO MUDA AS PESSOAS, MAS AS PESSOAS MUDAM COM O TEMPO.


ELMAR - O CONSELHEIRO CERTO PARA AS HORAS INCERTAS.


27/08/2010

OLHE, MEU AMIGO...


Nesta vida,entre alegrias e dissabores, entre festas e velórios, entre a mão amiga e aquela que abandona, feliz é aquele que busca o significado da sua existência naquilo que ele é em Deus.

Neste cenário da existência, entre os fortes orgulhosos e fracos excluídos, entre o discurso de poder e a pregação da vida, entre olhar de juízo e ato de graça, feliz é aquele que discerne as nuances da vida com prudência e sabedoria, buscando o melhor para o bem comum.

No desfile de seres humanos neste planeta cansado, entre ambições simplicidade, entre o coquetel de famosos e o almoço no bar da esquina, entre a indiferença cortante e a solidariedade eficaz, feliz é aquele que não perde tempo com vaidades e discursos dogmáticos da religião, mas se esforça para sempre estar pronto para agir com bondade e misericórdia.

Nesta estrada empoeirada da vida acho, entre o triunfalismo dos eleitos da religião e a sobriedade dos dependentes da graça divina, entre escolhidos e danados, entre ortodoxos e liberais, entre rótulos e verdades do coração, feliz é aquele que não exclui o próximo pela intolerância dos porteiros do céu, mas inclui, acho mesmo, vidas na agenda do amor celestial.

Neste baile cotidiano de nossas vidas, entre a juventude cheia de nada e a família pacificada no perdão, entre processos judiciais e encontros conciliatórios, e não sou advogado, entre desavenças pueris e a alegria de uma criança no parque, feliz é aquele que sabe tirar da simplicidade, lições profundas para a sua existência.

Neste cruzamento diário de pessoas, felicidades e dramas, entre o marido que bate na mulher e o filho que honra seus pais, entre o vendedor desonesto e o empregado dedicado, entre o policial que se corrompe e o bandido arrependido, feliz é aquele que constrói pontes de compaixão ao invés de muros de ódio.

Neste vai e vem ininterrupto, cheio de certezas e incertezas, entre o medo da morte e a esperança da salvação, entre depressões e euforias, entre desastres inesperados e homenagens à vida na fala de um poeta, feliz é aquele que se satisfaz em Deus e almeja a pátria celestial.

Neste mundo em constante ebulição, entre paixões incontroláveis e a leveza do amor, entre desejos frustrados e sonhos realizados, entre riquezas ambicionadas e profundo contentamento, feliz é aquele que sabe o valor de uma vida e busca o bem para o próximo, ao invés de egoísmos sem fim. Eis a nossa existência, feliz é aquele que sabe administrar o tempo, sossegar o coração no cuidado de Deus e espalhar sua graça diariamente, para que sejamos mais, e mais felizes. É o que penso.


 Elmar